segunda-feira, 10 de maio de 2010

Amamentar na gravidez




Estava com uma dúvida horrorosa, pois meu baby Pedro Henrique de 09 meses, ainda é louco por mamar no peito. E a pouco mais de duas semanas descobri que estou grávida. A minha obstetra recomendou para ir tirando o peito aos poucos. Só que ele é um trituradorzinho...não dá nenhum sinal de querer largar. E eu como mãezona que sou entrei no maior dilema do mundo. Afinal de contas não quero prejudicar nenhum dos meus babies. Pesquisando na internet descobri uma associação chamada:
Ela tem como missão:(tá em inglês para que não entender é só clicar no tradutor)



Our Mission is to help mothers worldwide to breastfeed through mother-to-mother support, encouragement, information, and education, and to promote a better understanding of breastfeeding as an important element in the healthy development of the baby and mother.

E o texto que encontrei diz o seguinte:
(achei ele traduzido...tem uns errinhos que peço que desconsiderem...pois o tempo tá curto para ficar corrigindo texto.)

O fato de estar grávida não significa que terá de desmamar o seu bebé. Muitas mamãs decidem continuar a amamentar durante a gravidez, outras decidem desmamar, a informação que se segue pode ajudar a mãe a decidir o que é melhor para si e para a sua família.

Familiares, amigos e profissionais de saúde poderão expressar dúvidas relativamente ao aleitamento materno durante a gravidez, uma das preocupações é que poderá estar a arriscar a saúde do bebé que se está a gerar. É importante saber que numa gravidez normal, não há provas de que manter a amamentação irá privar o nascituro dos nutrientes necessários. Relativamente às contracções que a amamentação pode provocar, a LLL responde da seguinte forma: "Apesar das contracções uterinas serem vivenciadas durante a amamentação, eles são uma parte normal da gravidez... As contracções uterinas também ocorrem durante a actividade sexual, e a maioria dos casais continuam durante a gravidez." "Actualmente, não existem orientações médicas específicas que definem em que situações poderá ser arriscado continuar a amamentação durante a gravidez, e os profissionais de saúde variam amplamente as suas recomendações".

Durante a gravidez é normal precisar de descanso extra, amamentar deitada poderá ser uma forma de obter esse descanso. Se tiver um local seguro para si e para o seu bebé, com almofadas ou colchões no chão, permitir-lhe-á descansar enquanto que o seu bebé brinca entre as mamadas, ou até poderão ambos dormir uma sesta após o momento da mamada.

Algumas mães ficam com os mamilos mais sensíveis durante a gravidez. Alterar a posição em que amamenta, e utilizar exercícios de respiração poderão ajudá-la a diminuir a sensibilidade mamária. Se o seu filho tiver idade suficiente, você pode pedir-lhe para mamar mais calmamente e por períodos mais curtos, isto pode ajudar com a sensibilidade nos mamilos e com a necessidade de descanso extra.

É possível que a produção de leite diminua por volta do 4º ou 5º mês de gestação, se o seu bebé tem menos de um ano de idade, é aconselhável ir verificando o peso para confirmar se está a receber a quantidade de leite suficiente. Também é comum o sabor do leite alterar e estas alterações poderão fazer com que o bebé mame menos vezes, ou vá desmamando naturalmente.

Se você decidir que quer desmamar o seu bebé, é mais aconselhável fazê-lo gradualmente. A técnica de “não oferecer, não recusar” é a que tem resultado na maioria das mães, tente prever quando o seu bebé vai pedir para mamar e distraia-o com uma brincadeira ou com um snack saudável. Evite sentar-se nos locais que o bebé possa associar a mamar, e dê-lhe o máximo de atenção e mimos nesta altura. Lembre-se que o desmame pode não ser fácil, por vezes manter a amamentação na gravidez acaba por ser a opção mais conveniente.

Depois do bebé mais novo nascer, é comum que o mais velho mesmo após o desmame queira provar o leite ou queira voltar a mamar, alguns podem não se lembrar de como mamar, outros podem estranhar o sabor do leite, e outros podem ficar felizes por voltar a mamar. Se não quiser voltar a amamentar o mais velho, o melhor será dar-lhe a provar o leite com um copo ou colher.
Se você optar por continuar a amamentar durante a gravidez, depois poderá acontecer que amamente ambos os bebés ao mesmo tempo – a isto chama-se amamentação em tandem e muitas mães acabam por fazê-lo com gosto e assim podem satisfazer as necessidades de ambas as crianças.

Se tiver dúvidas ou precisar de ajuda extra procure uma conselheira ou consultora em aleitamento materno que poderão dar-lhe apoio e informação sobre amamentação durante a gravidez, ou amamentação em tandem.

Informação traduzida de La Leche League por APPM



Além dessa pesquisa, sai pesquisando e achei outras informações que me deixaram bem FELIZES: (fonte: http://www.amigasdopeito.org.br)

A pergunta feita foi se amamentar na gravidez teria algum problema:

Para o feto… nenhuma. Para você, nenhuma. Para o bebê que mama, nenhuma… desde que você se alimente e curta isto. Algumas pessoas sentem que necessitam mudar o ciclo, para uma coisa e fazer outra, outras apenas agregam a nova situação e levam junto. Como o risco maior que poderia acontecer era um aborto no iniciozinho da gravidez… e você já passou da fase… é curtir e levar adiante com a escolha de caminho que fizer. Veja nos anexos dicas que podem ajudar a decisão..

e mais da mesma fonte: (
http://www.amigasdopeito.org.br)

Amamentando dois

Algumas famílias precisam encerrar um ciclo para iniciar outro e necessitam desmamar uma criança quando engravidam novamente ou para engravidar novamente. O maior risco de abortamento durante uma gravidez em que ainda há a amamentação é o início, mais ainda quando a mãe nem sabe que está GRÁVIDA. Mas é fundamental estar alerta quando existe ameaça real de aborto com cólicas intensas e perdas sanguíneas, o que é um motivo de desmame bem indicado.

Cada família sabe como se adaptar ao novo bebê, e algumas mães “deixam“ um peito para o mais velho dos filhos e separa o outro para o novo bebê (claro que na ausência do primeiro, o bebê “tem que aliviar o peito da mãe” e acaba mamando os dois). Como o maior vai mamar menos vezes isto não costuma causar problemas. Ainda há outras que dão o peito aos dois ao mesmo tempo nas mamadas “compartilhadas” principalmente de início e final de dia.

No Brasil, ainda é forte a disseminação de outras formas de alimentação para bebês, quando a indústria, brinquedos, televisão, filmes e até mesmo livros infantis deixam de mostrar a amamentação como forma de alimentação entre os mamíferos para apresentarem uma forma artificial como regra.

Este problema torna-se mais evidente nas camadas sociais mais pobres, onde o acesso às informações corretas é mais complicado devido às inúmeras dificuldades que enfrentam.

Sabendo-se que o leite materno é alimento mais adequado, mais barato e mais indicado para o início da vida humana, e entendendo que a amamentação fortalece o vínculo das relações humanas, nós, Amigas do Peito, que vivenciamos o apoio à amamentação desde 1980, desejamos partilhar esta experiência, favorecendo a construção de uma sociedade mais favorável à amamentação. Assim nos juntamos aos muitos grupos que desde 1969 vêm trabalhando, no Brasil, com mulheres e as questões da maternidade em áreas carentes de recursos.


Abraços, Maria Lúcia Futuro Mühlbauer
Amigas do Peito


Feliz Dia das Mães

video

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Gravida Fashion












Não tem coisa que me irrita mais que aquelas roupinhas de gravida que não dizem para que veio... Eu como boa mulher, adoro roupa. E sempre sofri para comprar roupas de grávida. E olha que hoje já existem várias lojas com roupas específicas para grávidas. Mas, muitas ainda ficam naquelas roupinhas caretas e que deformam o corpo mais que tudo. Então fiz um compeendio de fotos de grávidas popstar estilosas para ajudar as futuras mamães a se vestirem bem style!!!

Grávida de novo...que venha o n.4 :-)

Na quarta-feira da semana passada fui pega de supresa!!! Fazia meu check-up anual para ver se estava tudo bem. Afinal, três filhos temos que cuidar da saúde para ficar bem e poder cuidá-los por muito e muito tempo. Ao fazer a ecografia abdominal a médica me perguntou se estava grávida. Eu na mesma hora com toda certeza do mundo respondi: Não, não! E ela novamente disse: "Você está grávida?" (eu até aquele momento achando que era uma pergunta). E eu continuava respondendo. Não, não, não estou grávida!! Foi quando ela me disse que não estava me perguntando e sim afirmando. Eu estava grávida.... e mais, que o bebê já devia estar com 10 semanas ou mais!!!!!

AAAAAAHHHHHHHH! Como assim????? Como assim, mãe de três filhos deixou passar uma gravidez assim batida. Como assim????? Como assim????? Como????? Quer dizer, como faz não precisa de explicação - kkk! Isso estamos cansadas de saber :-) Mas, só sabia me perguntar: Como assim????? E a ficha não caia. E a médica ia tentando me acalmar. E entre uma risada e um pranto desesperado e outro fui contanto dos meus três outros filhos e que o mais velho só tinha 3 anos e 10 meses e por ai ia. Ela riu e disse: "É realmente não fazem mais mulheres loucas como você!!!" E eu repliquei: "Pois é então aproveite que com certeza eu sou a última!"

Sai da sala totalmente desnorteada, pensando meu Deus, e agora, 10 semanas, meu Deus, nasce esse ano, em novembro....ai meu Deus. Eu que queria esperar mais uns 2 anos no mínimo para tentar o quarto, quer dizer a quarta (pois queria ter bem planejadinho para tentar ao máximo uma menininha). Aí meu Deus, aí meu Deus.

Foi quando me dei conta que estava andando no meio do estacionamento completamente sem rumo. Então peguei o celular liguei para meu marido e desabei. E ele é claro começou a comemorar e a falar que estava indo me encontrar...Enquanto ele não chegava conversávamos no telefone e eu chorava. E pensava: como assim, eu tinha combinado com Deus que não queria outro filho agora. Que os planos dos seis filhos ainda estava de pé, mas, que precisava de um tempo para recompor as energias para começar de novo. Estava com mil planos de viajar com o maridão, com os filhotes e curtir mais cada um. Tentar dormir, mais de três horas seguidas a noite....ai,ai! E eu como sistemática de plantão não podia ter os planos mudados assim, de repente. Isso me faz perder o chão! Perder o rumo! E ficar, muito, mais muito brava com a mudança de planos.

E ao mesmo tempo não podia deixar de agradecer, afinal de contas, Deus estava me dando mais um presente. Uma benção. E pensava, pra que tanto desespero. Você tem toda estrutura para ter esses quatro filhos, tem um marido que apoia 1000%, tem uma família que ajuda em que precisar. Então PARE! PARE! PARE, de questionar e reclamar e pensar, pensar. E se entregue a vontade de Deus. Pois afinal de contas foi Ele quem mandou mais essa benção em sua vida.
Foi quando parei e disse: "Amém!"

Aí, o Bruno chegou, conversamos, conversamos e ele como sempre me acalmou mais ainda e me devolveu a estabilidade emocional que precisava. Nada como ter um maridão desse do lado!
Agora a ansiedade foi toda para contar para família e aguentar as mais diversas reações! E aí para mim nada mais importava. Tinha meu marido do lado e meus filhos queridos do meu lado.

E por fim, não podia deixar de contar um pequeno, grande acontecimento da noite anterior ao exame de ecografia que me revelou minha quarta gravidez.... Estavamos eu e meus três pimpolhos na sala de TV esperando o papaizão chegar do trabalho e vendo Discovery Kids. Foi quando o João Paulo (meu mais velho) disse: "Mamãe, mamãe" - deitou na minha barriga - "o Papai do Céu colocou minha irmãzinha na sua barriga". E eu morrendo de rir disse para ele. "Não meu amor, o Papai do Céu vai demorar ainda um pouquinho para dar outro irmãozinho ou irmãzinha para gente..." hahaha, mal sabia que meu João grandão já sabia de tudo!!

Agora é sentar e esperar as cenas do próximo capítulo....será que é menina ou menino???
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...